DIAGNÓSTICO SOCIAL
 

Diagnóstico Social das Freguesias do Centro Histórico – Évora

O diagnóstico apresentado surge da necessidade sentida pelos actores locais, presidentes das Juntas de Freguesia de Santo Antão, São Mamede e Sé/São Pedro quanto ao levantamento e reconhecimento das necessidades da população destas freguesias, também denominada por população intramuros eborense, uma vez que estas freguesias fazem parte do Centro Histórico de Évora.

Face a esta necessidade e às novas exigências das políticas sociais actuais, cada vez mais territorializadas e activas, responsabilizando as organizações locais (Autarquias locais, Instituições Particulares de Solidariedade Social, Organizações não governamentais e outras) tornava-se imperativo que houvesse um documento de referência, que não permitisse apenas a leitura das necessidades/potencialidades mas que apontasse medidas de combate aos problemas sociais, nestas freguesias.

Compreendendo a necessidade deste estudo, importa defini-lo enquanto conceito: “O Diagnóstico Social pode ser definido como um processo concertado, permanente e reiterado, de identificação e de análise, entre os actores implicados, do conjunto das causas e características das situações de exclusão social. Confere além disso, os elementos que orientam a acção, ajuda a definir as necessidades, a conhecer os recursos e os obstáculos existentes e a iniciar o estabelecimento das prioridades, a concretizar e a adaptar na função de planificação. O Diagnóstico corresponde à análise da realidade social num determinado contexto social, espacial e temporal, respeitante a uma ou várias situações problemáticas” (Câmara Municipal de Tondela: 2005, 5).

Este trabalho assenta, sobretudo, numa perspectiva de Desenvolvimento Social e
Comunitário visto aqui como uma “técnica social de promoção humana e de mobilização de recursos humanos, integrada nos programas nacionais de desenvolvimento; e que atende, basicamente, ao processo educativo” e à promoção de solidariedades nos pequenos grupos (Ware cit. in Mascarenas, 1996: 44).

Enquadra-se no âmbito da Rede Social, mais concretamente na Comissão Social Inter freguesias do Centro Histórico de Évora, que resulta da conjugação de sinergias de entidades públicas, privadas e de cidadãos, presentes na localidade e que em parceria procuram combater a pobreza e exclusão social. A Rede Social poderá contribuir decisivamente para a efectivação de uma consciência pessoal e colectiva dos problemas sociais, para activação dos meios e agentes de resposta, para as inovações nos modos de agir e ainda, para promover o desenvolvimento social local. Em suma, trata-se de criar um modelo de co-responsabilidade e de gestão participada, no combate à pobreza e à exclusão social, com base territorial.

Para que a análise dos problemas e das suas causas fosse o mais participada possível, procurando enriquecer-se através da perspectiva de vários profissionais de diferentes áreas, foi constituída uma equipa em que participaram elementos do Departamento do Centro Histórico, Património e Cultura da Câmara Municipal de Évora e a Assistente Social da Comissão Social Interfreguesias do Centro Histórico de Évora, formando um núcleo restrito de trabalho.
Este grupo conta também com a colaboração pontual de um grupo de alunos de Sociologia
da Universidade de Évora, pois só puderam participar por questões de tempo e interesse na freguesia de São Mamede e com um grupo de seis voluntários do Programa de Ocupação de Tempos Livres do Instituto Português da Juventude.
Embora todos os elementos da equipa estivessem presentes apenas no momento da
recolha de dados, poder-se-á afirmar que todos contribuíram em maior ou menor grau para as reflexões apresentadas neste estudo, pelo que se deve um agradecimento aos mesmos, principalmente ao Departamento do Centro Histórico, Património e Cultura da Câmara Municipal de Évora.

Neste contexto, e sentindo as Juntas de Freguesia do Centro Histórico de Évora – St.
Antão, S. Mamede e Sé/S.Pedro necessidade de um maior conhecimento das principais características da comunidade intramuros, nos seus aspectos socio-económicos, e procurando abrir novos caminhos na sua forma de apoiar a comunidade, foi realizado no ano 2007 um Diagnóstico Social na comunidade intramuros. E este documento que daí resultou, pretende ser mais do que um instrumento de leitura, um instrumento de intervenção com finalidade de promoção humana e comunitária.

A metodologia seleccionada para a realização deste diagnóstico foi a metodologia
quantitativa e qualitativa. Quantitativa pois foi utilizado o inquérito por questionário
aplicado, quer a uma amostra representativa dos agregados familiares intramuros, quer às instituições que fazem parte da Comissão Social de Freguesias do Centro Histórico, efectuando-se a análise de dados e estatística. Qualitativa quando as técnicas utilizadas basearam-se na observação directa, sistemática, na análise documental e recolha de informação através de informadores privilegiados, que em muito contribuíram para as reflexões apontadas.

Os capítulos seguintes serão apresentados na seguinte ordem: a metodologia que explica como se fez a estudo aqui presente, uma breve caracterização do concelho de Évora que inclui dados relativos ao Centro Histórico; depois entramos na análise de cada freguesia intramuros. O capítulo de cada freguesia é composto pelos resultados dos questionários, principais conclusões desta análise, análise S.W.O.T., referência às instituições presentes na comunidade e análise social da freguesia. Terminando no capítulo da reflexão final sobre o Centro Histórico. Este diagnóstico inclui também uma adenda onde se apresenta uma pequena reflexão sobre o papel das autarquias locais no desenvolvimento social e comunitário.

:. Diagnóstico Social das Freguesia do Centro Histórico de Évora

 


©2009 Junta de Freguesia de S. Mamede